Calculose renal

Atualmente, o termo insuficiência renal aguda foi substituído por injúria renal aguda, pois não é necessário ocorrer uma falência total do funcionamento dos rins para ocorrer esta lesão. A IRA se caracteriza pela perda abrupta do funcionamento dos rins, em geral, com recuperação total ou parcial em até 3 meses. A estimativa da função renal é feita através do taxa de filtração glomerular que é baseada na creatinina sérica do paciente. Logo, quando acontece um queda rápida da função renal, ocorre uma elevação da creatinina sanguínea também de forma acelerada. Outra forma de avaliar função renal é através do débito urinário, ou seja, se houver redução do volume urinário, haverá queda da taxa de filtração glomerular. A IRA pode ser classificada em: pré-renal, renal e pós-renal, dependendo do componente do sistema urinário envolvido.

As principais causas são:

– IRA pré-renal: desidratação, hemorragias, perdas gastrointestinais, insuficiência cardíaca por baixo débito, uso excessivo de diuréticos e anti-hipertensivos.

– IRA renal: neste grupo incluim-se as lesões do parênquima renal, como a necrose tubular aguda e a nefrite intersticial aguda que podem ser secundária a toxicidade por drogas (anti-inflamatórios, antibióticos, quimioterápicos, contrastes iodados) ou advindas de lesões isquêmicas (por falta adequada de oferta de oxigênio).

– IRA pós-renal: são as lesões obstrutivas do sistema urinário, as formas mais comuns são a obstrução uretral por aumento do volume prostático e por tumores de bexiga.
Obstruções bilaterais dos ureteres por tumores pélvicos, também podem causas este tipo de IRA.

Fale conosco contato